ATENÇÃO! Uitilize o Menu ao Lado Cor de Exibição Página exibida colorida Página exibida em contraste Tamanho da Letra Tamanho da fonte original ou diminuído Aumentar tamanho da fonte
A Cidade
PIRASSUNUNGA - SP

História da nossa Terra

As terras onde situa-se o município de Pirassununga eram habitadas pelos índios tupi-guarani, que denominavam a atual Cachoeira das Emas de Pirassununga, “lugar onde o peixe faz barulho”.
Os primeiros povoadores brancos chegaram por volta de 1809, entre eles, a família do Sr. Christóvam Pereira de Godoy, que fundou a Fazenda Santa Cruz.
Em 1823, o Sr. Ignácio Pereira Bueno e sua esposa instalaram-se na área central da cidade. Quando o então Bairro do Senhor Bom Jesus dos Aflitos foi oficialmente fundado, em 6 de agosto de 1823, com a celebração da primeira missa pelo padre Felippe Antonio Barreto, o nome de Pirassununga, que era designação atual de Cachoeira de Emas, foi aposto ao nome do novo local, que passou a se chamar Bairro do Senhor Bom Jesus dos Aflitos de Pirassununga. O local da primeira missa forma o largo onde hoje estão a Igreja da Assunção e a estação rodoviária.
Em 21 de novembro de 1828, a capela do Senhor Bom Jesus dos Aflitos de Pirassununga foi elevada a capela curada.
Tornou-se freguesia em 4 de março de 1842, com a mesma denominação da capela, em terras do município de Mogi Mirim, sendo transferida para o município de Limeira no dia 8 de março daquele mesmo ano. A vila de Pirassununga foi criada em 22 de abril de 1865, e recebeu foros de cidade em 31 de março de 1879.
Pirassununga é uma expressão tupi que significa peixe roncador. Este nome foi dado por causa do fenômeno da piracema: todos os anos, em dezembro, os peixes sobem o rio Moji-Guaçu para a desova e, no esforço para nadar contra a correnteza, emitem sons semelhantes ao de um ronco.

Evolução do município
* 6 de agosto de 1823 = bairro;
* 4 de março de 1842 = freguesia;
* 22 de abril de 1865 = vila;
* 12 de abril de 1866 = termo;
* 31 de março de 1879 = cidade;
* 6 de agosto de 1890 = comarca.
O aniversário de Pirassununga é comemorado em 06 de Agosto.
Alguns pirassununguenses famosos:
• Manuel Pereira de Godoy, historiador e naturalista, autor de "História Natural de Pirassunuga", para além de estudos referentes ao meio ambiente, à piscicultura e à história local.
• Cacilda Becker,famosa atriz e cujo nome foi posto no teatro municipal da cidade em sua homenagem.
• José do Valle Sundfeld, Artísta, escritor e historiador. Autor do Brasão de Pirassununga e de dois livros que contam a história do Clube Atlético Pirassununguense denominado "AMOR, GARRA E TRADIÇÃO".
• Ricardo Humilde Meringe, fundador da Vila Rich.

A Estação Ferroviária de Pirassununga
Histórico da Linha: Em 1877, a Paulista abria o primeiro trecho, partindo de Cordeiros até Araras, do que seria o prolongamento de seu tronco. Em 1880, a linha, com o nome de Estrada do Mogy-Guassú, atingia Porto Ferreira, na mesma época em que a autorização para cruzar o Mogi e chegar a Ribeirão Preto foi indeferida pelo Governo Provincial, em favor da Mogiana. A linha, então, foi desviada para oeste e atingiu Descalvado no final de 1881, seu ponto final. Em 1916, as modificações da Paulista na área entre Rio Claro e São Carlos, na linha da antiga Rio-Clarense, fizeram com que o trecho fosse considerado como novo tronco, deixando a linha a partir de Cordeiros como o Ramal de Descalvado. Desde o começo em bitola larga (1,60m), ele funcionou para trnes de passageiros até julho de 1976 (Pirassununga-Descalvado) e até fevereiro de 1977 (Cordeirópolis-Pirassununga). Trens cargueiros andaram pela linha até o final dos anos 80. Abandonado, o ramal teve os trilhos arrancados entre 1996 e 1997, sobrando apenas o trecho inicial até Araras com seus trilhos enferrujando ao tempo.
 




A Estação:
A então cidade de Senhor Bom Jesus dos Aflitos de Pirassununga inaugurou sua estação em outubro de 1878, como ponta de linha, a cerca de um quilômetro da praça central da cidade. Tinha, na época (dados de 1876), uma população de 7.169 habitantes, sendo 1.376 escravos, que trabalhavam especialmente na lavoura de café e na cultura de cereais. Possuía duas cadeiras de instrução primária, para ambos os sexos, e foi por muito tempo a maior e mais importante cidade do ramal. O prédio original da estação, modesto, sobreviveu até 1884, quando, substituido por outro, ainda permaneceu com outras funções até 1892, quando foi demolido. Em 1907, começaram as obras de reformulação e ampliação do prédio, obras estas que se prolongaram até 1911, quando foi entregue o prédio na sua forma atual. A melhoria da estação foi justificada pela Paulista em seu relatório de 1912, como segue: "A melhoria da situação economica do Estado de S. Paulo, em consequencia da feliz resolução da crise do café, é fenomeno que se vem acentuando sob multiplas manifestações, nestes ultimos dois anos. Ainda que revestindo modalidades diversas, em nenhuma delas porem o fenomeno se tem revelado tão vivamente como em suas relações com a industria de transporte, como alias era de esperar, pois sabido é quanto á ação do caminho de ferro coopera para o desenvolvimento agricola, industrial e comercial de um pais, e por conseguinte, qual a responsabilidade inerente ao fecundo instrumento de civilização no processo de formação da riqueza e do bem estar social. Conscia de semelhante responsabilidade, a Companhia Paulista, nos quarenta anos que já conta de vida ativa, tem sempre procurado envidar os esforços a seu alcance para desenvolver e melhorar o seu importante aparelho de transporte, pondo-o a par das crescentes necessidades do Estado. É o que agora ainda está ela fazendo com o vigor que as circunstancias reclamam. (...) Assim é que (...) a par dessas grandes obras, outras de menor vulto, mas não de menor interesse para a boa economia dos serviços, tem sido nos ultimos tempos executados nas linhas. Referimo-nos á reconstrucção e aos melhoramentos dos edificios das estações de (...) Pirassununga (...) e outras".
Em 1911, também se inaugurava a majestosa Escola Normal de Pirassununga, ainda em prédio provisório (o belo prédio atual foi terminado em 1914) e considerada por muitos como a mais bela do Estado, alunos de todas as cidades e vilarejos atendidos pela linha utilizavam-se do trem para atingir a cidade. "Minha avó, Maria, de Porto Ferreira, sempre contava que ia de trem, todos os dias, para a Escola Normal, isto nos idos de 1913 até 1915... ela morreu em 1987 e ainda se lembrava disso com alegria." (Ralph Giesbrecht, 1999). Também embarcavam aqui os passageiros que baldeavam para o ramal de Santa Veridiana, e atingir o tronco da Mogiana, para seguir para Ribeirão Preto, na estação de Baldeação. De 1891 a 1976, esse ramal, em maior ou menor trecho, esteve ativo. Em meados de 1976, a estação de Pirassununga passou a ser o ponto final do trem de passageiros, deixando de seguir até Descalvado. Sete meses depois, em fevereiro de 1977, o trem de passageiros partiu de Pirassununga pela última vez, seguindo para Cordeirópolis. A partir daí, a estação foi sendo, aos poucos, abandonada. Em 1993, a Prefeitura reformou o prédio, que passou a abrigar o Museu Fernando Costa, e restaurou o prédio da forma como era em 1911. (Ralph Mennucci Giesbrecht - do seu livro "Caminho para Santa Veridiana", 2003)



DADOS DA CIDADE

Região Administrativa de Campinas  
Região de Governo de Limeira
Aniversário 6 de agosto
Santo Padroeiro Bom Jesus dos Aflitos
Prefeita Cristina Aparecida Batista - PDT
Presidente de Câmara Otacilio Jose Barreiros (Dr. Otacilio) - PTB
 

 

 

Fonte: Fundação SEADE

Mais em: 

http://www.seade.gov.br/produtos/perfil/perfilMunEstado.php

No campo "Perfil Municipal de:" Selecione Pirassununga

 



2009 - Endereço: Rua Galício Del Nero, 51 – Centro - CEP 13.631-904 - PIRASSUNUNGA/SP
Telefone: (19) 3565-8000 -E-mail: gabinete@pirassununga.sp.gov.br